Perguntas e Respostas com as atrações da Deep: Jano (México)

P: Por que Jano?

R: "Jano refere-se a um nome que as pessoas começaram a me chamar, desde 2003, é um apelido, meu nome verdadeiro , Alexander, na mitologia romana, era o deus, o guardião do portal do céu, mas honestamente eu me considero mais como o guardião da música psicodélica".


P: Como você se envolveu com a Música Eletrônica?

R: "Me envolvi ainda novo, com 12 anos, quando me mudei para a Cidade do México, me matriculei na Escola de Música, o que me permitiu estudar violão e piano, mas eu gradualmente percebi que a minha principal motivação não era a música clássica, então comecei a compor minha própria música. Isso me fez encontrar grande inspiração e me levou a buscar mais ferramentas para a minha composição."
"Meu primeiro contato com o Psytrance ocorreu quando meu irmão me deu o álbum em cd Classical Mushroom, do grupo Infected Mushroom, fiquei fascinado pelo número infinito de sons psicodélicos e, como produtor, eu queria saber como fazê-los. Foi quando eu comecei a produzir no Cubase SX, em 2006, o que me levou ao início formal do projeto Jano."


P: Como é o dia-a-dia no Studio do Jano?

R: "Sempre diferente, único e incomparável, a monotonia e a repetição do mesmo padrão leva a produção sem inspiração, então eu tento fazer a cada dia diferente, cada minuto que eu passo dentro do estúdio deve ter um foco especial sobre aquilo que eu quero fazer.
A coisa mais importante é criar música que as pessoas irão lembrar pra sempre, para isso você tem que se esforçar, isso vai levar muito do seu tempo, decidação e paixão, mas se você tem o sonho de compartilhar a sua música com a pessoas, tudo vai valer a pena."


P: Você tem outros projetos?

R: "No momento não tenho um 'side project', a música está sempre em movimento, gêneros e gostos musicais também, não só no México, mas também em outros países.
Pra mim, fazer música é um imenso prazer e é minha paixão, não faço pelo dinheiro ou popularidade em um gênero específico, eu prefiro manter constante o trabalho no meu projeto atual, Jano."


P: Como seu some técnicas de produção mudaram após você ter trabalho em músicas com Solaris?

R: "Cada projeto em que trabalhei com Solaris tive uma ótima experiência, na qual aprendi e agradeço Solaris por isso, além de outros artistas com os quais trabalhei. É fascinante trocar conhecimento, conhecer a inspiração e as paixões de outros artistas, outra mente, outras idéias, renova minha maneira de produzir e me expressar.
Toda 'track' em que trabalhamos juntos tem um pouco de Jano e um toque especial do Solaris, essa é uma das melhores coisas, você nunca sabe no que pode resultar um dia no Studio, ou como vai ser a música que vai sair."


P: O que você acha dos festivais no Brasil?

R: "Cada país tem uma cultura e visão diferentes, mas como um artista mexicano, representar o meu país e ir tocar no Brasil é uma das maiores alegrias pessoais.
Um povo tão amável, toda galera dança junta, sorrindo, sentindo a mesma vibe e você sente isso quando está no palco tocando. As pessoas parecem realmente seguir o som, o que é algo que eu amo no Brasil."


P: Como você decide o nome das suas músicas?

R: "Pessoalmente eu acho mais difícil dar nome à música do que produzi-la. Eu tenho um grande amor pela ficção científica, e acho que é um bom lugar para se inspirar, quando procuro nomes pras minhas músicas. Uma das vantagens de se fazer música em parceria com outro produtor, é que eu não tenho que decidir o nome sozinho."


P: Alguma novidade ou lançamento vindo por aí?

R: "Meu último EP acaba de sair, pela gravadora japonesa FinePlay Records, que contém 2 'tracks'originais e um remix de Space Cat, que é um dos meus artistas favoritos.
Estou trabalhando em um álbum agora, vai ter um monte de surpresas pros meus fãs e amigos, por agora só posso dizer que incluirá colaborações com Krunch da Hommega Records, Scrovinsky, Red Sun e um várias originais do Jano.
Também refiz um dos meus melhores remixes, Groove Armada - Superstylin (Jano RMX), e posso dizer que tenho uma surpresa especial para minha próxima Tour no Brasil, essa música é o que eu chamo de 'dancefloor bomb'!"


P: Qual a melhor experiência que ser DJ e Produtor proporcionou pra você?

R: "Viajar e refletir. Cada vez que eu viajo eu percebo que sei menos desse mundo maravilhoso e que cada lugar tem algo a descobrir. Mas também posso dizer, que a coisa mais importante é conhecer tantas pessoas maravilhosas."

Traduzido por Wicked Artists